As personagens de Regina Duarte que ditaram moda


Em mais de cinco décadas de carreira, Regina Duarte consolidou-se como uma das maiores e mais versáteis atrizes brasileiras: nascida em Franca, interior de São Paulo, em 5 de fevereiro de 1947, iniciou aos 14 anos no teatro amador, e em 1964, aos 17, estrelou filmes publicitários para a televisão. 
Sua estreia como atriz profissional deu-se no ano seguinte, quando atuou na novela A Deusa Vencida, de Ivani Ribeiro, na TV Excelsior. No mesmo ano, estreou no teatro sob a direção de Antunes Filho, interpretando A Megera Domada, de Shakespeare.
Em novelas, Regina Duarte é a atriz que registra o maior número de audiências ao longo da carreira: interpretou desde mocinhas românticas sofredoras - que granjearam a ela a alcunha de “namoradinha do Brasil” - a mulheres independentes que causaram rebuliço na sociedade conservadora. Relembre 6 personagens de Regina Duarte que tornaram-se verdadeiros ícones fashion e ditaram a moda em sua época.

MINHA DOCE NAMORADA (VICENTE SESSO, 1971)

Em Minha Doce Namorada, exibida entre 1971 e 1972, Regina Duarte interpreta Patrícia, jovem pobre e órfã que consulta os astros na esperança de que estes lhe tragam a felicidade. Romântica, Patrícia apaixona-se e sofre perdidamente por esse amor. O papel foi o primeiro grande sucesso de Regina, que a partir de então, passou a ser chamada “namoradinha do Brasil”.
Patrícia marcou época com sua moda alegre e divertida: adotou a minissaia, os shorts e as boinas do momento. Em seu guarda-roupa, muitos conjuntinhos em estilo militar, blusinhas de malha, jaquetas, shorts de brim e botas de couro branco ou em camurça recortada, vestidinhos curtos de mangas bufantes e vestidos longos em patchwork e estilo camponês.

A moda alegre e jovial de Patrícia em "Minha Doce Namorada" (Fotos: Dick Welton/Figurinos: Marcos, da boutique Liloca/Cabelo: Luiz Antonio, da Funny Perucas)

  
SELVA DE PEDRA (JANETE CLAIR, 1973)

Na trama de Janete Clair, Regina surge em horário nobre no dramático papel de Simone, uma artista plástica bonita e sensual que vislumbra um melhor futuro para sua carreira. O guarda-roupa de Simone é composto por peças no estilo boho/hippie, que refletem o espírito artístico da personagem.

O estilo boho de Simone em "Selva de Pedra": vestidos florais e batas artesanais (Foto: TV Globo/Divulgação)


NINA (WALTER GEORGE DURST, 1977)

Regina já começava a desvencilhar-se da imagem de “namoradinha do Brasil”: após três anos afastada da televisão, a atriz retornou no papel-título de Nina, uma professora contestadora da moral conservadora vigente na sociedade brasileira dos anos 1920. Para viver a personagem, a atriz cortou os cabelos à la garçonne, bem curtinhos, e seu guarda-roupa era composto por chapéus e vestidos em silhuetas tubulares.

O estilo vintage anos 20 de "Nina": cabelos à la garçonne e silhueta tubular (Fotos: Acervo do blog Regina Duarte - Namoradinha do Brasil)


MALU MULHER (DANIEL FILHO, 1979)

Malu Mulher (leia nossa matéria especial sobre a série aqui) marca um dos pontos-auge da carreira de Regina Duarte na televisão: na série de Daniel Filho, os valores da mulher como ser atuante em sociedade são rediscutidos através do cotidiano da socióloga Maria Lúcia Fonseca (Malu), desquitada e mãe de uma filha adolescente. Por sua temática de emancipação feminina, a série causou controvérsias, e teve episódios censurados pelos órgãos federais do regime militar. Malu Mulher foi aclamada no mundo, chegando a ser exibida com enorme sucesso em países como Cuba, Suécia e Holanda, e rendendo a Regina Duarte um prêmio de Melhor Atriz na Tchecoslováquia.
Malu é a epítome da mulher moderna: inteligente, obstinada e com um quê de androgenia.

A androgenia de Malu em "Malu Mulher" (Foto: TV Globo/Divulgação)

ROQUE SANTEIRO (DIAS GOMES E AGUINALDO SILVA, 1985)

Em Roque Santeiro, Regina Duarte abandonou definitivamente o estilo “namoradinha do Brasil”: sempre impecavelmente maquiada e com alguns quilinhos a mais, encarnou a exagerada Viúva Porcina - papel que é relembrado como o mais emblemático de sua carreira na televisão -, explorando seu talento humorístico. Porcina ditou a moda dos turbantes multicoloridos na década de 1980.  

O estilo excêntrico de Viúva Porcina em "Roque Santeiro": turbantes multicoloridos, a moda nos anos 80 (Foto: TV Globo/Divulgação)

RAINHA DA SUCATA (SILVIO DE ABREU, 1990)

Em Rainha da Sucata, Regina é Maria do Carmo, mulher batalhadora de origem humilde que faz fortuna com o negócio de ferro-velho de seu pai, e assim conquista o amor de Edu (Tony Ramos). O glamour do guarda-roupa de Maria do Carmo, bem como seu cabelo curto e muito preto, influenciou o visual das mulheres dos anos 90. 

O glamour nada discreto de Maria do Carmo em "Rainha da Sucata": cabelos pretos e franja curta (Foto: TV Globo/Divulgação) 

Império Retrô

Criado em 2010 por Rafaella Britto, o blog Império Retrô aborda a influência do passado sobre o presente, explorando os diálogos entre moda, arte e sociedade.

2 comentários:

  1. Regina é uma fofa! Simplesmente linda em Selva de Pedra.E eu fiquei com vontade de assistir Malu Mulher, bem interessante essa temática da emancipação feminina, pena que foi censurada aqui.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Alguns episódios foram censurados, mas outros estão disponíveis no YouTube, é só procurar por Malu Mulher.

      Excluir

Muito obrigada pela sua visita e sinta-se à vontade para opinar. Lembre-se de que:

(1) Todos os comentários são moderados pela editora do Império Retrô;
(2) Críticas e sugestões serão bem-vindas;
(3) Não serão aceitos spams e comentários anônimos de cunho agressivo.