15 frases inspiradoras de Madonna


Ao longo de sua longeva carreira, a Rainha do Pop, Madonna, personificou as qualidades inerentes aos grandes artistas: estilo, beleza, talento, perfeccionismo, atitude e rebeldia – e temos muito a aprender com ela. Confira 15 frases inspiradoras da musa. 


“Na verdade, eu aprendi a dançar por mim mesma. Eu costumava assistir televisão e copiar Shirley Temple. Eu colocava os discos na virola e dançava, algumas vezes só e outras ensinando, em longas aulas, as minhas amigas. À medida que fui crescendo, dava aulas para garotos também, o que tornava as aulas mais gostosas. Lembro que o primeiro rapaz para o qual eu dei aula foi com a música ‘Honky Tonky Woman’, dos Rolling Stones... foi realmente muito sexy.”



“Eu adorava fazer tudo que me diziam para não fazer... eu não podia usar nylon, não podia cortar os meus cabelos, não podia marcar encontros, não podia ir ao cinema com meus amigos.”



“Eu adorava me vestir bem diferente de todas as pessoas. Andava nos metrôs e pelas ruas e adorava chamar a atenção de todos. O efeito que eu conseguia causar era fantástico. As pessoas não me veem como uma pessoa estranha ou interessante. Elas me veem como Madonna.”



“Muitas garotas vão às aulas de dança com seus cabelos para cima, flores penduradas, um estilo bem diferente. Então eu cortei meus cabelos, arrepiei-os e a cada dia fazia algo diferente com ele. Era demais.”



“Você representa a sua música, ela deve ser sua imagem.”



“Quando eu era garotinha, eu achava que eu era negra. Todas as minhas coleguinhas eram negras e eu só escutava música de negro, enfim, tudo girava em torno da 'raça negra'. Se ser negro é sinônimo de paz de espírito, então eu era negra.”



“As coisas que me inspiram a fazer uma música são as que eu mais gosto ou tenho curiosidade... tudo me inspira: um ótimo livro ou filme, uma expressão nos olhos de alguém, crianças ou velhos andando nas ruas. Vocês sabem o que eu gosto de fazer quando vou a festas? Conversar com os garçons, com os porteiros. Eles me inspiram.”



“Quando eu era criança, morria de ciúmes dos meus irmãos mais velhos. Eles podiam fazer xixi em pé, ficar na rua, ter liberdade.”



“Eu cuidava muito do meu corpo. Meus ossos apareciam de uma maneira muito evidente e ao mesmo tempo bonita. Tinha um corpo bem modelado e era a principal modelo dos estudantes de arte. Eles adoravam me pintar porque eu era fácil de se desenhar. Fiz várias fotos nua. Posava para estudantes de arte de várias escolas. As fotos nunca foram autorizadas para serem publicadas. Eu era uma dançarina na época e não queria posar para nenhuma revista.”




“Eu fazia este tipo de trabalho porque precisava de dinheiro para me sustentar. Encarava o nudismo como forma de arte. Eu não via pornografia em Michelangelo. Obviamente que eu preferia que as fotos não houvessem sido publicadas, mas acho que quando as pessoas olham essas fotos, devem pensar: ‘qual é o problema?’ Se há alguém que ache ruim, não posso fazer nada.”



“O amor fluía como uma grande mão de sentimento sobre meu corpo. Algumas vezes terna e suave, outras vezes forte e raivosa.”



“Quando eu era garotinha, achava que o mundo era só meu. Havia milhares de coisas, de oportunidades, todas minhas, tudo meu. Havia milhares de coisas, de oportunidades. Sempre tinha o pensamento de um dia poder sair de casa e fazer tudo o que sempre sonhei, o que sempre planejei.”




“A vida é ótima quando você tem o dinheiro exato para viver em paz.”



“Oh, Jimmy Stewart! Eu quero morrer para encontra-lo no céu. Há dois momentos dos quais me lembro fortemente em dois filmes: em ‘A Wonderful Life’ tem uma cena que ele faz com Donna Reed. Ela está no telefone e ele lhe diz que não a ama mais e ele chora. Na verdade, ele a ama perdidamente. Ooooh! Outro momento foi em ‘Rear Window’, quando ele dá aquele olhar para Grace Kelly. Ela estava passando a noite com ele. Ele vai até a cadeira e olha para ela com olhos carinhosos e apaixonados. Eu não consigo descrever, mas é tão lindo, tão suave. É assim que quero que alguém me olhe: com carinho, sensualidade, ternura. É a coisa mais pura de um relacionamento. É devastador!”





“Sexo é sujo? Sim, quando não se toma banho.”


Império Retrô

Criado em 2010 por Rafaella Britto, o blog Império Retrô aborda a influência do passado sobre o presente, explorando os diálogos entre moda, arte e sociedade.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Muito obrigada pela sua visita e sinta-se à vontade para opinar. Lembre-se de que:

(1) Todos os comentários são moderados pela editora do Império Retrô;
(2) Críticas e sugestões serão bem-vindas;
(3) Não serão aceitos spams e comentários anônimos de cunho agressivo.