Ava Gardner por ela mesma


Há 27 anos, partia Ava Gardner. Descrita por Jean Cocteau como “o mais belo animal do mundo”, Gardner enfeitiçou as audiências da Era de Ouro de Hollywood com sua beleza estonteante e aura enigmática. Os casamentos atribulados com celebridades como Frank Sinatra contribuíram para erigir a sua imagem a de mulher fatal.
Muito se falou sobre a deusa das telas. “Colorida de ouro, de azul-escuro e de rosa antigo, ela era algo que o cinema não conhecia desde Greta Garbo ou Louise Brooks” – escreveu o crítico Jean-Loup Passek. Entretanto, a mais capacitada a falar sobre Ava Gardner continua a ser ela mesma.

(Foto: Reprodução)

ESTRELATO

“O que eu realmente gostaria de dizer sobre o estrelato é que ele me deu tudo o que eu nunca quis.”

(Foto: Reprodução)

COMPORTAMENTO

“Embora ninguém acredite, eu nunca deixei de ser uma garotinha, de ter meus valores.”

(Foto: Reprodução)

VIDA PRIVADA

“Agora querem uma lista de todos os meus divórcios. Droga! Liguem para o ‘New York Times’ – sabem mais de mim que eu mesma.”

(Foto: Reprodução)

FAMA

“É uma completa vergonha. Fui estrela de cinema durante 25 anos e tudo o que consegui são três ex-maridos asquerosos.”

(Foto: Reprodução)

SOBRE ‘OS ASSASSINOS’

“Ah, o que é que eu sabia? Eu fui ao set no primeiro dia cheia de maquiagem e o diretor me disse pra tirar. Então eu fiz o filme sem maquiagem. Eu não tinha nada a ver com as coisas que eu fazia. Nunca entendi porque eu era tão famosa.”

(Foto: Reprodução)

MICKEY ROONEY

“Ele veio me visitar no hospital e eu ouvi a rotina de Jesus Cristo. Ele é um cristão renascido. Continuou com a ideia de ser a imagem de Deus. Que porcaria!

(Foto: Reprodução)

HOWARD HUGHES

“Eu não sabia nada sobre ele. Não sabia de sua reputação, sua riqueza ou a coisa que ele tinha sobre aviões e voar pelo mundo. Eu só sabia que, logo que eu me divorciasse de Mickey, Howard entraria na minha vida e eu não conseguiria me livrar dele pelos próximos quinze anos, não importasse com quem eu estivesse ou com quem eu tivesse me casado. 

(Foto: Reprodução)

FRANK SINATRA

“Quando eu fui à Espanha fazer ‘Os Amores de Pandora’, tive uma briga séria com o toureiro que fazia meu amante no filme, Mario Cabré, e contei isso a Frank [Sinatra]. Meu erro foi ter contado. Ele estava sempre brigando comigo por causa dos homens com quem supostamente eu tinha dormido. Eu teria ficado com Mario. Ele era diabolicamente lindo. Teria sido um amor de uma noite apenas.”

(Foto: Reprodução)

ARTIE SHAW

“Meu casamento com Artie Shaw poderia ter durado mais tempo se eu não tivesse pedido conselhos a John Houston. John era o último homem no mundo a se pedir um conselho. Mas o que John disse não importou em nada. Artie estava determinado a se livrar de mim. Ele já tinha até uma substituta para mim. Sabe quantas vezes John Houston se casou? Cinco vezes. Meu Deus, eu precisava ser examinada por ter pedido conselhos sobre casamento a ele.”

(Foto: Reprodução)

MARLON BRANDO

“Voltamos para o hotel dele e tomamos uns drinques. Eu não estava usando sutiã, então ele estendeu a mão e agarrou meus seios e perguntou: 'São reais?' E eu respondi: 'Acredite, são!'

(Foto: Reprodução)

HOLLYWOOD

“Eu pensei que estivesse ganhando cinquenta dólares por semana [na MGM], mas acabou sendo $35 porque durante 12 meses do ano você ficava de férias. Era uma escravidão branca, e durou dezessete anos.”

(Foto: Reprodução)

ÁLCOOL

“Algumas das coisas das quais eu mais me arrependo na vida aconteceram enquanto eu bebia. Eu não sou boa com álcool. E não dou a mínima para a hora do dia, eu bebo muito.

(Foto: Reprodução)

ENFRENTANDO OS HOMENS

“Eu lidei com homens de temperamento, e que poderiam ser violentos – Deus sabe como eu tive que me defender de Howard Hughes e Frank Sinatra, e do abuso verbal de Artie Shaw. Mas George [C. Scott] era uma categoria diferente de animal quando estava bêbado. Ele entrava no meu quarto de hotel – ele fez isso na Itália, Londres e em Beverly Hills -, me atacava onde quer que eu estivesse e gritava: ‘Por que você não vai se casar comigo?’ Bem, eu nunca me casaria com um homem que não era capaz de controlar o próprio licor. Eu, eu sou uma bêbada feliz. Eu rio, danço, certamente não quebro garrafas e ameaço matar.”

(Foto: Reprodução)

CARREIRA DE ATRIZ

“Eu era preguiçosa. Eu teria sido uma atriz muito melhor se tivesse levado mais a sério. Nunca tive o devido respeito de uma atriz. Frequentemente eu decorava minhas linhas já a caminho do estúdio.”


ENVELHECER

“O que quer que sejam rugas, gostei de ganhá-las.

Rafaella Britto

Criado em 2010 por Rafaella Britto, o blog Império Retrô aborda a influência do passado sobre o presente, explorando os diálogos entre moda, arte e sociedade.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Muito obrigada pela sua visita e sinta-se à vontade para opinar. Lembre-se de que:

(1) Todos os comentários são moderados pela editora do Império Retrô;
(2) Críticas e sugestões serão bem-vindas;
(3) Não serão aceitos spams e comentários anônimos de cunho agressivo.